Blogger templates

quinta-feira, 20 de junho de 2013

O valor do perdão na atualidade

Estamos vivendo momentos difíceis na inter-relação social em que o ser humano ainda carrega consigo ódios e desejos de vingança em seu coração. Isso vem acontecendo na atualidade devido à falta de amor ao próximo e a si mesmo. Por isso, a falta de compreensão em relação ao outro é um fator preponderante nesse processo, pois sabemos que o ser humano tem também seus limites e suas dificuldades evolutivas por pertencer ainda a um mundo de provas e expiações.
 
Na realidade significa que ainda somos crianças espirituais e que temos que evoluir muito para a compreensão desse processo, visto que precisamos desenvolver mais a nossa amorosidade cristã para o entendimento dessas dificuldades evolutivas.

 
Nesse contexto, fica evidente que durante o processo evolutivo de cada um de nós muitos problemas ocorrem devido à falta de determinação psíquica e força de vontade do próprio ser envolvido no processo de crescimento espiritual.
É nas situações difíceis e complexas que devemos desenvolver em nosso íntimo valores pertinentes ao crescimento do ser psíquico “Espírito”, que é o ser principal e que sobrevive à morte do corpo físico. Não ter inimigos aqui na Terra ajuda o ser humano a aproximar-se mais de Deus. É nas experiências interpessoais que o valor do perdão ganha força e em que encontramos a solução imediata de muitos problemas existenciais para a decisão de muitas situações.
Aquele que diz que jamais perdoa muitas vezes não sabe o que está falando. Muitas vezes o ser humano é acometido por dificuldades emocionais que o levam ao desequilíbrio. O perigo dessas dificuldades é entrarmos em faixas vibratórias inferiores, provocando em nós alterações emocionais e desajustando assim o ser psíquico “Espírito”. Nesse caso específico é importante implantar o culto do evangelho no lar e praticar leituras de obras edificantes para melhorar o ambiente espiritual da casa e do ser envolvido nessa problemática.
Nunca é demais conclamar o Mestre Jesus em nossas vidas como meio de suavizar os nossos problemas emocionais. Quem faz isso recebe da espiritualidade superior uma atenção especial, e o resultado dessa mudança no lar é o equilíbrio que começa a ser percebido por parte dos interessados nesse contexto.
Ter inimigos não contribui em nada na equação de débitos do presente e nem do passado. Aquele que age no mal provoca para si próprio mais dificuldades e mais desajustes psíquicos, ficando evidente que precisa melhorar em muito as suas atitudes.
Devemos considerar, também, que o valor do perdão deve ser algo trabalhado no dia-a-dia a partir das experiências sociais, pois todos nós somos filhos de Deus e temos que colocar em prática os seus ensinamentos, visto que as suas lições foram transmitidas através dos profetas, dos discípulos e também dos mensageiros espirituais há muitos séculos atrás, e agora também através do Espiritismo, que é o Cristianismo redivivo.
É através da “Doutrina Espírita” que temos a oportunidade de vivenciar esses princípios e valores superiores. Devemos buscar a partir da codificação “kardequiana” o aprendizado necessário para melhorar a nossa condição espiritual aqui na Terra. Fazendo isso, estaremos construindo em nós o Reino de Deus, visto que estaremos nos esforçando para adquirir a luminosidade espiritual tão necessária para o desenvolvimento evolutivo.
Vale ressaltar que ainda pertencemos a um mundo de provas e expiações e que, a todo momento, estamos sendo testados para ver se estamos no caminho certo rumo a Jesus. Disse o Mestre: “Buscai o Reino de Deus e sua Misericórdia que o resto virá de acréscimo”. Se seguirmos esses ensinamentos estaremos dando um grande passo para a nossa felicidade futura.
Portanto, todos nós no planeta Terra temos uma meta de vida e também muitos objetivos a serem alcançados, principalmente em relação à felicidade futura. Cabe a cada um de nós observar os exemplos de vida que Jesus deixou quando esteve aqui há mais de dois mil anos e vivenciar intensamente as suas lições de amor, de perdão e de amorosidade.
Também disse Jesus: “perdoar não só sete vezes e sim setenta vezes sete vezes” – esse é o caminho que devemos percorrer para a nossa ascensão espiritual, a fim de sairmos definitivamente desse incômodo sistema de provas e expiações, passando agora para um mundo de regeneração.
 
*Texto extraído da coluna Crônicas e Artigos da revista O Consolador, on line, ano 7, nº 314 - 2 de junho de 2013. Escrita por Marco Antônio Pinho, Serrinha, BA (Brasil)

0 comentários: