Blogger templates

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Autor traz conceitos do espiritismo em livro

A televisão sempre absorveu a maior parte do tempo de Walcyr Carrasco. Prova disso é que ele, que estreia dia 20 de maio no horário nobre da Globo como autor de “Amor à Vida”, escreveu oito novelas originais nos últimos 13 anos, supervisionou “O Profeta” – em reprise atualmente no “Vale a Pena Ver de Novo” – e substituiu Benedito Ruy Barbosa quando este teve problemas de saúde em “Esperança”. E, curiosamente, foi justamente um compromisso de trabalho dos folhetins que culminou na publicação de “Juntos Para Sempre”, livro lançado recentemente por Walcyr.

 
Durante a primeira viagem que fez à África na pré-produção de “Caras & Bocas”, em 2008, um sonho formou a sinopse em sua cabeça, deixando-o determinado a transformar aquilo em romance. “A trama foi toda narrada para mim e me senti no dever de contá-la. Não tinha relação com nada que eu estava fazendo naquele período, mas não dava para deixar de lado”, lembra.
O livro é narrado sob a perspectiva do advogado Alan, profissional conceituado na faixa dos 40 anos que nunca se apaixonou. E tem muitas de suas noites de sono interrompidas por um sonho que se repete e remete a uma vida passada dele. Nas imagens, ele vê uma mulher sendo queimada viva e, impotente diante da execução, promete amá-la para sempre. Assim como alguns de seus trabalhos na tevê, como “Alma Gêmea” e “Sete Pecados”, Walcyr usa na história conceitos do espiritismo. “A minha forma de ver a vida está em todos os meus trabalhos. Certos valores vão aparecer sempre. Por exemplo, eu acredito em reencarnação, então meu livro fala sobre isso”, explica.
A obra foi escrita ao longo de um ano e o texto foi finalizado por Walcyr em novembro de 2012. O que significa que esse trabalho foi realizado simultaneamente à produção de “Gabriela”, folhetim que o autor adaptou do original “Gabriela, Cravo e Canela”, de Jorge Amado, para a faixa das 23 horas da Globo, com transmissão pela TV Diário. Mas, garante, não se dividiu de maneira matemática entre as duas obras, deixando que o próprio ritmo de trabalho determinasse qual seria priorizado em cada dia. “Fazer muitas coisas ao mesmo tempo é corrido, mas também dá um gás diferente. Particularmente, prefiro viver assim, quase perigosamente na profissão”, exagera.
É nesse ritmo acelerado que ele lança o romance e, ao mesmo tempo, se prepara para a estreia de “Amor à Vida”. Desta vez, a trama gira em torno de médicos. Assim como seus sucessos recentes, Walcyr escolheu São Paulo para ambientar a história. E aposta, pela terceira vez seguida, em Mateus Solano na pele de um dos principais papéis do folhetim. “Nasci no interior de São Paulo e moro na capital há muitos anos. Por mais que eu goste do Rio, não escondo que sou apaixonado por São Paulo e, por isso, acabo escolhendo-a como cenário das minhas obras”, argumenta. Na trama, Paolla Oliveira interpreta a médica Paloma, que tem a filha roubada pelo irmão Félix, papel de Mateus Solano. O bebê é jogado em uma caçamba por ele e acaba sendo adotado por Bruno, de Malvino Salvador. Ele, então, conhece Paloma, vivendo um romance com ela e fazendo com que mãe e filha se reaproximem, sem saber. “O que Félix mais quer é ser filho único. Então, ele tenta aniquilar tudo que tem a ver com a irmã”, adianta Carrasco.
Sem dar muitos detalhes sobre o folhetim, o autor assume que não deixará de lado o humor que o consagrou na faixa das seis e das sete. Para dar vida a uma “periguete” que batalha por um casamento com um ricaço, ele e os diretores Wolf Maya e Mauro Mendonça Filho escolheram a ex-MTV Tatá Werneck. E como a ideia fixa de fazer um bom casamento é constante na vida da personagem, a equipe garantiu uma participação especial para ser a primeira presa da moça em cena: o jogador Neymar. “Ela acha que ele vai vê-la, se encantar e querer ficar com ela. A Tatá é um trunfo forte na comédia. Em São Paulo, ela já tem uma legião de fãs e acho que vai agregar ainda mais agora, fazendo novelas”, avalia. (Marcio Maio/TV Press)
 
SERVIÇO
TÍTULO: JUNTOS PARA SEMPRE
IDIOMA: PORTUGUÊS
EDITORA: ARQUEIRO
CATEGORIA: LITERATURA NACIONAL / ROMANCE
ENCADERNAÇÃO: BROCHURA
FORMATO: 16 x 23
PÁGINAS: 208
ANO DE EDIÇÃO: 2013
EDIÇÃO:
PREÇO MÉDIO R$: 25,00
*Notícia exrtraída do site do jornal O Diário

0 comentários: