Blogger templates

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Preconceito espírita contra os livros de autoajuda

Por várias oportunidades, ouvimos alguns amigos espíritas dizerem que alguns livros não são espíritas, mas sim de autoajuda, sempre com ar de reprovação...

Existe aí um defeito de observação, afinal, o que faz uma obra ser espírita não é o seu gênero literário, mas sim a concordância com as Obras de Allan Kardec, e por isso ser chamada de: Básica.

Existem no mercado muitos livros ditos espíritas e até mediúnicos, mas sem guardar fidelidade com o que ensinam as Obras Fundamentais, sejam os autores encarnados ou não, que servem para entretenimento e até podem ser vistos como ficção, mas sem Kardec, sem Espiritismo.

Um estudo mais sério evidencia que TODA a Doutrina Espírita é autoajuda, afinal, não possui a finalidade de resolver os problemas do homem, mas de fornecer orientações, capacitá-lo, para que ele resolva seus próprios problemas, portanto, Autoajuda.


No Evangelho, podemos colher várias situações que nos conduzem à mesma compreensão, como exemplo: “Ajuda-te, que o Céu te ajudará...”, ou ainda “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á” e por aí segue...

Em O Livro dos Médiuns, capítulo XXVI, números 291 e seguintes: "Não, os Espíritos não vêm livrar o homem da lei do trabalho, mas mostrar-lhe o alvo que deve atingir e a rota que o leve a ele, dizendo: Marcha e atingirás! Encontrarás pedras nos teus passos; mantém-te vigilante, e afasta-as por ti mesmo! Nós te daremos a força necessária, se quiseres empregá-la".

Em todas as oportunidades, sempre a ajuda superior é condicionada à postura do homem, primeiro o indivíduo decide mudar e, depois, proporcionalmente às próprias ações, a ajuda virá – só depois.

Em outras palavras, “a cada um é dado segundo as próprias obras...”, ou seja, tudo depende do que o homem faz de si – autoajuda. Sem falar nas inúmeras oportunidades em que, após curar os indivíduos, Jesus dizia: “a tua fé te curou”, em outras palavras, a causa da cura está sempre no indivíduo.

É assim que a Doutrina Espírita constitui um grande manual de autoajuda, oferecendo ao homem o caminho para crescer, se ele desejar... E, por falar nisso, ainda nos lembramos de Jesus ao se definir: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida...”, como a nos dizer: quer chegar aonde Eu cheguei?, faça igual. – Autoajuda!

*Texto extraído do site da Revista O Consolador, em Crônicas e Artigos, Ano 9 - N° 428 - 23 de Agosto de 2015,  por ROOSEVELT ANDOLPHATO TIAGO.

0 comentários: